Comer saudavelmente

Uma alimentação saudável é essencial para o bom funcionamento do organismo, para a promoção da saúde, melhora do controle glicêmico, fortalecimento do sistema imunológico e bem-estar geral. Deve garantir variedade, equilíbrio entre qualidade, quantidade e segurança dos alimentos a serem ingeridos.

Os alimentos in natura e/ou minimamente processados devem ser priorizados e compor a base da alimentação. Já os alimentos ultrapassados devem ser evitados, conforme preconizado pelo Guia Alimentar da População Brasileira.

Entenda mais sobre essas classificações:

  • Alimentos in natura ou minimamente processados: obtidos diretamente da natureza, provenientes de plantas ou animais, tais como grãos, tubérculos, frutas, verduras, legumes, carnes em geral, leite e ovos. Quando os alimentos in natura passam por alterações mínimas – limpeza, empacotamento, secagem, moagem, congelamento, eles se tornam minimamente processados.
  • Alimentos processados: fabricados com adição de sal ou açúcar ou outra substância de uso culinário, como conservas, queijos, pães…
  • Alimentos ultraprocessados: produtos fabricados com muitos ingredientes de uso industrial (de nomes pouco familiares), como biscoitos recheados, refrigerantes, salgadinhos e macarrão instantâneo.

Com relação às quantidades, essas são individualizadas e dependem de vários fatores como idade, sexo, estado nutricional, grau de atividade física e outros fatores. Mas, é possível saber como elaborar uma refeição balanceada, a partir dos princípios do PRATO SAUDÁVEL:

Comer saudavelmente

Conheça os 10 passos para uma alimentação saudável:

  1. Fazer de alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação;
  2. Utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias;
  3. Limitar o consumo de alimentos processados;
  4. Evitar o consumo de alimentos ultraprocessados;
  5. Comer com regularidade e atenção, em ambientes apropriados e, sempre que possível, com companhia;
  6. Fazer compras em locais que ofertem variedade de alimentos in natura ou minimamente processados;
  7. Desenvolver, exercitar e partilhar habilidade culinárias;
  8. Planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece;
  9. Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora;
  10. Ser crítico quanto a informações, orientações e mensagens sobre alimentação veiculas em propagandas comerciais e redes sociais.