Atividade física no isolamento

Manter uma rotina de exercícios durante o período de isolamento social é de suma importância.

Os benefícios da atividade física, mesmo em casa, são muitos – a começar por  melhorar o controle metabólico do diabetes, já que aumenta a captação de glicose e reduz a resistência à insulina (ou seja, o hormônio funciona melhor). Exercícios também ajudam a controlar o peso e proteger o coração. Sem contar que praticar atividade física regular pode fortalecer o sistema imunológico e traz benefícios psico-afetivos, aspecto importantíssimo nesta situação de angústia e incertezas.

Cuidados na hora do exercício no isolamento

As precauções de higiene pessoal para o dia-a-dia devem ser aplicadas/adaptadas aos momentos da atividade física:

  • lavar como mãos com água e sabão antes e depois da sessão de exercício;
  • limpe os equipamentos/utensílios utilizados ​​com álcool a 70%, também antes e depois de usar;
  • tome banho assim que o treino terminar e lave as roupas também imediato.

Com relação ao diabetes, os cuidados devem ser os mesmos da prática realizada em academias ou na rua. O ideal é conferir a glicemia antes de começar a atividade e, se possível, intensificar a monitoração durante o dia, especialmente no caso de um exercício não usual. Mantenha por perto algum carboidrato de ação rápida (3 sachês de mel, 3 balas ou 150 ml de suco de laranja) para corrigir uma eventual hipoglicemia. E não se esqueça da hidratação.

Se você não estiver se sentindo bem, suspenda a prática. Não se exercite na presença de sintomas e sinais compatíveis com infecções respiratórias como febre, tosse e falta de ar. Nesse caso, seu sistema imunológico estará trabalhando extra para combater a infecção e o exercício pode dificultar a tarefa.

Atividade física no isolamento

LEMBRE-SE: faça exercícios dentro do seu nível de condicionamento e preparação. Ouça seu corpo e não exagere. O ideal, neste momento particular, é uma prática de atividades moderadas. Exercícios de alta intensidade devem ser evitados agora, uma vez que produzem uma “janela imunológica”, aumentando o risco de infecções virais nas vias aéreas superiores. Por outro lado, práticas de moderada intensidade podem até ser protetoras do ponto de vista imunológico.

O que praticar?

Procure praticar exercícios todos os dias, para favorecer o controle da glicemia. O ideal é fazer um pouco de tudo: atividades aeróbicas, como caminhar, correr, pular corda, subir escadas, dançar; exercícios de fortalecimento muscular, como agachamento, abdominais e outros movimentos com cargas ou usando o peso do corpo; e alongamento para manter a flexibilidade. Muitos profissionais estão disponibilizando aulas online, para diversos níveis e modalidades. Lembre-se de checar as qualificações do profissional que você for seguir. Há ainda aplicativos e canais no YouTube, para todos os gostos. Experimentar novas modalidades pode ser um estímulo para não ficar parado. Confira mais dicas e alguns tipos de exercícios na página da SBD (www.diabetes.org.br).

E as crianças?

A atividade física durante uma quarentena também é importante para crianças e adolescentes. O principal cuidado é tentar reduzir o chamado “tempo da tela”, período que os pequenos e os jovens ficam grudados no computador e celular. Os videogames podem ser aliados, se foram aqueles que exigem movimento para jogar ou dançar. No caso dos adolescentes, aplicativos e canais do YouTube podem ser um estímulo, ajudando inclusive a despertar novos interesses. Para crianças, uma boa pedida é liberar algum ambiente da casa para as brincadeiras, deixando de lado os objetos que possam sofrer ou causar danos. E vale investir em atividades à moda antiga: amarelinha, esconde-esconde, caça ao tesouro, corrida de obstáculos com almofadas, basquete com balde e bolinha, boliche com garrafas pet, jogo de argolas também com garrafas pet, patinação com meia. E o que mais a imaginação permitir.