fbpx

Estilo de vida saudável para crianças com diabetes tipo 2

Durante décadas, o diabete tipo 2 tem sido tratado como uma doença de adultos. No entanto, hoje em dia, está se tornando bastante comum em crianças e adolescentes. O aumento dos casos de diabetes tipo 2 ocorre em todo o mundo e está relacionado com o aumento da incidência de obesidade infantil.

Para o tratamento do diabete tipo 2 em crianças, as mudanças no estilo de vida, com foco na alimentação saudável e na prática de atividade física, representam um papel muito importante.

A maioria das crianças com diabetes tipo 2 tem sobrepeso, portanto, é muito importante a perda de peso para o controle dos níveis glicêmicos.

A terapia nutricional personalizada pode ser eficaz para melhorar o controle da glicemia. Os objetivos para a terapia nutricional segundo as instruções dadas pela Academia Americana de Nutrição e Dieta incluem:

  • Melhorar o controle da glicose no sangue equilibrando o consumo de alimentos com a atividade física. Isto inclui porções pequenas de alimentos para evitar a elevação de níveis de glicose no sangue após as refeições.

  • Seguir uma dieta reduzida em calorias, cuidando das necessidades nutricionais adequadas para o crescimento saudável e normal.

Os pais e as crianças com diabetes tipo 2 devem ser assessorados por nutricionistas especializados em diabetes. Eles deverão aconselhar sobre como ajustar os hábitos e condutas alimentares diárias para garantir uma nutrição adequada e reduzir o consumo de alimentos calóricos.

Objetivos de peso

Nas crianças e adolescentes com diabetes tipo 2 o objetivo principal é reduzir de 7 a 10% o peso corporal por idade e sexo. O sobrepeso e a obesidade causam resistência à insulina e reduzem sua ação, portanto, para controlar a glicose no sangue o corpo necessitará que a célula beta, que já faz uma maior atividade, produza mais insulina.  Em adultos com diabetes tipo 2, a perda de peso reduz a resistência à insulina e melhora a secreção de insulina.

Os mesmos benefícios da perda de peso também são notados nas crianças. Em crianças obesas que não desenvolveram diabetes tipo 2, uma redução de IMC de 0,5 kg /m2 ou mais, representou melhoras à sensibilidade à insulina. Em outro estudo com crianças com diabetes tipo 2 que foram tratadas com uma dieta baixa em calorias, durante um tempo de um a quatro meses, o resultado foi que o IMC diminuiu de 43,5 a 39,3 kg / m2 e a hemoglobina A1C diminuiu de 8,8 a 7,4% sem o uso de medicamentos orais em 19/20 casos.

Nas crianças, a decisão de perder peso ou de manter o peso existente, deve ser avaliada cuidadosamente, dependendo da idade do paciente, o nível de obesidade e outras doenças. Já nos pacientes em fase de crescimento, a conservação do peso corporal dá um resultado de redução do IMC.  No entanto, para a maioria dos adolescentes com diabetes tipo 2, a perda de peso é mais recomendada do que a conservação do peso.

Ainda que o objetivo seja perder peso, por prevenção, é aconselhável conseguir este objetivo de maneira gradual. Para muitos pacientes e familiares, o objetivo inicial é manter o peso. Depois de conseguir manter o peso com sucesso, a intervenção deve ser no ajuste da dieta para reduzir gradualmente o peso e alcançar o IMC desejado. Uma redução de 0,5 a 1 kg por mês é um objetivo razoável para os adolescentes em desenvolvimento. Os adolescentes que já completaram a puberdade devem ter um objetivo de perda de peso de aproximadamente de 0,5 a 1 quilograma por semana, que é o mesmo objetivo de perda de peso recomendado para adultos com diabete tipo 2.

Dieta

Mesmo que as regulamentações dietéticas para pessoas com diabetes recomendem dietas fracionadas (por exemplo, o paciente recebe uma recomendação sobre a quantidade de consumo de diferentes grupos de alimentos), este enfoque com frequência dificulta que os pacientes sigam o tratamento a longo prazo. O fracionamento das refeições deve ser realizado por todos os integrantes da família, não somente pela criança. Será um benefício para todos.

Portanto, para obter uma dieta adequada para crianças obesas com ou sem diabetes tipo 2, é necessário focar em mudar gradualmente os hábitos alimentares familiares e individuais para conseguir objetivos a longo prazo.

Antes de consultar o nutricionista, o paciente e a família devem proporcionar alguns dados importantes. As preferências alimentares do paciente e da família, as atividades físicas e os comportamentos sedentários (tempo dedicado ao computador, tablet, telefone, etc), tempo em família e dificuldades financeiras, cultura e educação. Depois de captar informação suficiente, os nutricionistas oferecem o assessoramento personalizado mais apropriado para ajudar as crianças a manterem uma dieta mais saudável.

As crianças geralmente necessitam:

  • Substituir os alimentos ricos em carboidratos por frutas ou verduras. Usar o índice glicêmico para escolher alimentos que sejam benéficos para controlar o açúcar no sangue, manter ou perder peso.

  • Reduzir ou eliminar as bebidas ricas em calorias, substituindo-as com água ou bebidas sem calorias.

  • Reduzir a frequência de refeições fora de casa. Evitar comer em fast food, devido aos altos níveis de caloria, aumenta o risco de sobrepeso e obesidade.

As crianças com diabetes tipo 2 e sua família devem consultar regularmente o nutricionista. Inicialmente pelo menos uma vez ao mês para fazer uma avaliação e receber um apoio necessário, corrigir a dieta e compartilhar as mudanças.

Atividade física

É necessário aumentar a atividade física a fim de perder peso, melhorar a sensibilidade à insulina e controlar a glicose no sangue. Todo treinamento deve ser individualizado e acompanhado por um profissional de educação física.

2019-06-12T16:41:21+00:00maio 31st, 2019|Conhecimento Geral|