PERGUNTAS2019-04-10T10:09:05+00:00

VISÃO GERAL DO DIABETES

O diabetes causa 3.7 milhões mortes ao ano, mais que o câncer de mama e a AIDS juntos. As complicações da doença danificam uma série de órgãos vitais no corpo, como o sistema cardiovascular, o sistema nervoso, os rins e os olhos. Entretanto, quando diagnosticada e tratada a tempo, as pessoas com diabetes podem viver de forma saudável.

Tanto diabetes tipo 1 quanto o diabetes tipo 2 apresentam os seguintes sintomas:

  • Urinar frequentemente
  • Muita sede
  • Muita fome
  • Perda de peso incomum, mesmo comendo muito
  • Cansaço
  • Vertigem, enjoo

O diabetes gestacional é um caso muito especial. Pode não apresentar nenhum sintoma, porém em casos de glicemia alta é possível aparecerem alguns sinais. Porém na maioria dos casos, seu diagnóstico acontece nos exames de pré-natal.

  • Dificuldade na cicatrização de feridas
  • Sensação de dor nas extremidades

O nível de glicose no sangue (glicemia) é o índice que se utiliza para mostrar a quantidade aceitável de açúcar em seu sangue. Ele altera durante todo o dia e é contado pela unidade de mg/dL.

Uma pessoa com nível seguro de glicose, sem diagnóstico de diabetes, se encontra dentro destes parâmetros:

Jejum – Até 99 mg/dL

Pós Prandial (2 horas após a refeição) – Até 140 mg/dL

Existem três principais tipos de diabetes:

Diabetes Mellitus tipo 1

– Acontece em 10% dos casos e é frequente em crianças e adolescentes.
– Caracteriza-se pela falta de insulina no corpo.
– É uma doença autoimune, por isso, não tem prevenção.
– Os sintomas do tipo 1 são: fazer muito xixi, sede e fome frequentes, rápida perda de peso apesar de comer bastante, fadiga e piora da visão.

Diabetes Mellitus tipo 2

– Corresponde à 90% dos casos de diabetes.
– Ocorre frequentemente em adultos, porém, o número dos casos em crianças e adolescentes está aumentando.
– No tipo 2, as células perdem a capacidade de usar a insulina para converter a glicose em energia.
– Sua principal causa é a obesidade, o sedentarismo, além da hereditariedade.
– Os sintomas são similares aos da diabetes tipo 1.

Diabetes gestacional

– Acontece quando os níveis de glicose no sangue da mãe aumentam durante a gravidez.
– Se não for tratado pode resultar em complicações na gravidez e no parto.
– Tanto a mãe como o bebê podem desenvolver diabetes tipo 2 no futuro.
– O diabetes gestacional, na maioria dos casos, não apresenta sintomas, e é diagnosticada durante o pré-natal.
– Com o aumento da glicemia durante a gravidez podem ser observados sintomas como: sede e fome excessivas, urinar com maior frequência e visão turva.

A diabetes é uma doença crônica, por isso não pode ser curada por completo. Entretanto, caso se diagnosticar e se trata imediatamente, ainda pode viver saudável e otimista com a doença. A forma de controlar a glicose no sangue, e a diabetes em geral, é manter uma dieta saudável, fazer exercício, descansar, relaxar-se e cumprir as recomendações do médico.

INSULINA E MEDICAMENTOS PARA A DIABETES

A aplicação de insulina é uma terapia obrigatória no caso do diabetes tipo 1, já que o  pâncreas não produz mais esta substância. No diabetes tipo 2, o médico pode, por exemplo, prescrever a insulina combinando-a com hábitos saudáveis para obter melhores resultados.

Atualmente há diferentes de insulina no mercado, com diferentes tempos de ação, eficiências e custos. O tipo de insulina dependerá da condição física, a duração da doença e os níveis de glicose no sangue de cada pessoa. Não se deve administrar injeções de insulina sem seguir as instruções do médico.

– Mais informação sobre a insulina nos diabéticos

Medicamentos orais para o diabetes em geral são utilizados para o diabetes tipo 2. Esta terapia funciona melhor quando é combinada com exercício físico, perda de peso e uma dieta saudável.
Os medicamentos para a diabetes estão disponíveis em diversas formas, sobre tudo por via oral e injetável. Nem todas as pessoas com diabetes tipo 2 necessitam medicamentos. Seu médico diagnosticará e irá prescrever o mais adequado para você.
Consulte o seu médico antes de tomar qualquer medicamento.
Também é preciso seguir à risca os horários indicados pelo médico, assim como as doses.
Algumas medicações podem ter efeitos colaterais. Não abandone o tratamento. Entre em contato com seu médico, para buscarem, em conjunto, uma solução.

PREVENÇÃO E CONTROLE DO DIABETES

Sim, o cuidado diário com os pés ajuda a controlar o diabetes. Nas pessoas com diabetes, os pés e os dedos dos pés frequentemente esfriam devido ao fluxo interrompido do sangue à perna. Os arranhões, inchaços e os roxos nas pernas se curam lenta ou dificilmente. Estes são sintomas são sinais de que o controle glicêmico não está adequado.

– Erros frequentes sobre a diabetes

HÁBITOS DE VIDA SAUDÁVEIS

As pessoas com diabetes podem ingerir quantidades moderadas de álcool. Segundo recomendações dos especialistas, o limite de álcool padrão para cada pessoa é:

  • Não mais de 2 copos/semana para homens.
  • Não mais de 1 copo/semana para mulheres.

Entretanto, se for viciado no álcool, necessita uma desintoxicação imediata para controlar a diabetes e evitar outros riscos para a saúde.

Não, porque a diabetes é uma doença crônica e não pode ser curada completamente. Entretanto, a perda de peso tem um papel extremamente importante, já que ajuda a controlar a doença e permite continuar desfrutando da vida. Só com 7% menos de peso, já pode limitar o risco de complicações do diabetes em 58%.

– 4 dietas nutritivas para os pacientes com diabetes

Contrariamente à crença popular, as pessoas com diabetes não necessariamente têm que comer de forma diferente a sua família. Seu principal objetivo ao comer é perder peso e controlar seus níveis de glicose no sangue de forma segura. Podem obter este objetivo com hábitos simples como:

  • Dividir as refeições ao longo do dia
  • Escolher alimentos integrais, naturais e nutritivos.
  • Evitar gorduras, doces e sal em excesso
  • Comer verduras para acrescentar fibra ao corpo