Mulheres grávidas precisam de prevenção do diabetes gestacional

O diabetes gestacional é marcado pela hiperglicemia durante a gravidez, que pode aparecer em mulheres que nunca tiveram diabetes anteriormente.

Durante a gravidez, alguns hormônios como o cortisol, o estrogênio, o lactógênio placentário aumentam, reduzindo a atividade da insulina, fenômeno que se denomina “resistência à insulina”. Às vezes é preciso que o pâncreas produza três vezes mais insulina que antes da gravidez, para manter a glicemia em ordem. Nos casos em que o pâncreas não produz insulina suficiente, a quantidade de glicose no sangue não pode ser convertida em energia, ocasionando então o diabetes gestacional.

Efeitos do diabetes gestacional na mãe e o bebê

O risco de deformidades no feto é muito baixo, já que o diabetes gestacional costuma aparecer no segundo ou terceiro trimestre de gravidez. As anomalias só se produzem se a mãe não sabe que tem diabetes antes da gravidez ou sofre um aumento repentino nos níveis glicemia durante as 6 a 8 primeiras semanas de gestação.

Entretanto, o diabetes gestacional pode levar a algumas complicações para o recém-nascido. O aumento da glicose no sangue da mãe, que é transmitido para o bebê, ocasiona um trabalho maior do pâncreas do bebê, produzindo insulina para converter a glicose em energia. Isto faz que o corpo jovem absorva mais energia que a necessária. A energia excessiva faz que o bebê cresça muito dificultando o processo do parto, com consequências negativas como lesão no ombro e braço da criança ou outros problemas como a hipoglicemia repentina, icterícia ou problemas respiratórios.

Em geral, os níveis de glicose no sangue da mãe voltarão a ser os mesmos de antes, após o nascimento. Mas é preciso que o diabetes gestacional seja diagnosticado e tratado imediatamente para evitar possíveis riscos também para a futura mamãe.

Entre estes riscos estão: possibilidade alta de parto prematuro, cesárea em lugar de parto natural, suscetibilidade ao diabetes tipo 2 após à gestação, aumento da pressão arterial alta ou pré-eclâmpsia.

Tratamento efetivo do diabetes gestacional

Níveis de glicose para as mulheres grávidas (segundo a ADA)

Antes das comidas menos de 95 mg / dL
1 hora após as comidasmenos de 140mg / dL
2 horas após as comidasmenos de 120mg / dL.

Não é necessário se abster de nenhum alimento, mas deve ter nutrientes suficientes, vitaminas e minerais tanto para você como para seu bebê. Quando tem diabetes gestacional, a futura mamãe deve ficar atenta a sua alimentação e seguir as orientações de seu médico e nutricionista. Além das três principais refeições do dia, é preciso inserir dois ou três lanches leves entre elas. Os cereais integrais, o arroz integral, a farinha de aveia, as verduras e as frutas ajudarão a reduzir a gordura e os carboidratos e aumentarão a quantidade de fibra consumida. Limite ou evite os alimentos que contêm gorduras saturadas como a manteiga, as gorduras de animais e as vísceras.

Lembre-se de fazer exercício habitualmente para ajudar a seu corpo a regular a glicose no sangue.